Provérbios portugueses
Author: 
MOREIRA, António
Editorial: 
Notícias
Place of edition: 
Lisboa
Publication date: 
2003 (5ª ed.)
Proverbs
Displaying 21 - 40 of 444 (page 2 of 23)
Proverb In source
Água de Fevereiro mata o onzeneiro Page:
32
Proverb number:
978
Dezembro com Junho ao desafio, traz Janeiro frio Page:
93
Proverb number:
577
Em Fevereiro neve e frio, é de esperar ardor no estio Page:
106
Proverb number:
242
Fevereiro quente traz o diabo no ventre Page:
118
Proverb number:
167
Guarda pão para Maio e lenha para Abril Page:
126
Proverb number:
144
Maio me molhou, Maio me enxugou Page:
141
Proverb number:
32
Não há mês mais irritado que Abril zangado Page:
172
Proverb number:
402
Se o cuco não vem entre Março e Abril, ou é morto ou está para vir Page:
286
Proverb number:
197
Ande o frio por onde andar, no Natal cá vem parar Page:
37
Proverb number:
1237
Manhã de nevoeiro, tarde de soalheiro Page:
150
Proverb number:
406, 407
Não há Sábado sem sol, Domingo sem missa, nem Segunda sem preguiça Page:
173, 182
Proverb number:
469, 846
Nevoeiro de mais de três dias, durará oito Page:
184
Proverb number:
914
No tempo do cuco, tanto está molhado como enxuto Page:
187
Proverb number:
1059
A água de Janeiro mata o onzeneiro Page:
11
Proverb number:
16
A água de Janeiro, vale dinheiro Page:
11
Proverb number:
17
A água de trovão, cala até ao chão Page:
11
Proverb number:
18
A lua[,] como quinta[,] assim trinta Page:
19
Proverb number:
389
A lua não é como pinta mas como quinta Page:
19
Proverb number:
391
A ti chova todo o ano e a mim Abril e Maio Page:
29
Proverb number:
834
A três d'Abril o cuco há-de vir[,] e se não vier até oito, está preso ou morto Page:
29
Proverb number:
838

Pages